Menu

Goiânia/GO

Miriam Inez da Silva: A sala dos milagres e as crônicas fabulosas da alegria
Curadoria: Divino Sobral
[em cartaz]

A Cerrado Galeria de Arte apresenta a exposição dedicada à artista goiana Miriam Inez da Silva (1937–1996), reunindo 83 obras entre xilogravuras e pinturas a óleo sobre madeira, executadas entre os anos 1960 e 1990. Trata-se da mais volumosa exposição realizada no Brasil sobre a produção de Miriam, e da única individual feita em Goiânia.

Nascida em Trindade, conviveu durante a infância e juventude com o ambiente religioso criado em torno da imagem do Divino Pai Eterno e das imagens peculiares dos ex-votos guardados na Sala dos Milagres da Igreja Matriz, com o imaginário fantástico do povo interiorano e sertanejo. Foi um mulher moderna e libertária que ainda jovem passou a residir em Goiânia, formando-se na primeira turma da Escola Goiana de Belas Artes, logo após sua formatura mudou-se para o Rio de Janeiro, matriculando-se nas aulas de Ivan Serpa no Museu de Arte Moderna, ocasião em que iniciou seu contato com a arte experimental carioca.  A obra da artista teve início com a prática da gravura, desenvolvendo temas que remontam a Trindade e usando linguagem gráfica com timbres expressionistas. No final dos anos 1960 abandonou a gravura e se encaminhou para a pintura em franco diálogo com a tipologia dos ex-votos, o que lhe rendeu a fama equivocada de artista ingênua, naif ou primitiva. Miriam foi artista erudita que optou por realizar representações de aparência popular. Sua formação na Escola Goiana de Belas Artes no seio do modernismo goiano, foi influenciada pelo pensamento religioso, pelo culto à arte popular.  De onde resultou sua obra ao mesmo tempo tradicional e moderna, conservadora e irreverente, relato e imaginação.

Com curadoria de Divino Sobral, a exposição conjuga pinturas e gravuras em uma montagem que alude às salas de ex-votos dos centros de romaria no interior do Brasil, com as paredes da galeria tomadas pelas obras articuladas em torno de 8 núcleos temáticos: a influência do sagrado; o amor; música, dança e festa; circo, teatro, jogos e parque de diversão; cotidiano e costumes; mitologias; poética do voo; infância. O conjunto revela o humor e a ironia presentes na crítica social criada pela artista ao mesmo tempo em que expressava sua alegria de viver, seu gosto pela fantasia, sua diversão com a transgressão.