Menu

Miriam Inez da Silva

Nascida no ano de 1937 em Trindade (GO), um dos locais mais importantes de peregrinação religiosa do Brasil, Miriam Inez da Silva elaborou ao longo de cinco décadas de trabalho uma obra complexa e original em xilogravura e pintura. Sua produção em pintura apresenta um universo encantado, impuro e fascinante, que a artista estrutura em obras geralmente de pequeno formato, em madeira, e com suas molduras coloridas características.

 

Miriam Inez da Silva escolhe fazer suas pinturas dentro do universo da cultura e catolicismo popular. No entanto, diante da religiosidade, e dos valores tradicionais, a artista vai inserindo – de modo sutil ou evidente – outros princípios e atitudes irreverentes, não convencionais e provocativas, como revela a série que adota como tema os sete pecados capitais. Ela também retratou figuras da indústria do entretenimento de seu tempo, entre eles os músicos Jonh Lennon, Ney Matogrosso e Raul Seixas e o apresentador Chacrinha. No mundo criado pela artista, os mistérios e o extraordinário podem surgir do comum.

 

Ao observar minuciosamente pinturas de Miriam pode-se perceber que se o pano de fundo é a cultura popular, ela não deixa de incorporar narrativas repletas de uma ironia sofisticada, o que expande certa compreensão de sua produção como unicamente ingênua, ou naïf, e permite conhecer a pluralidade e os outros aspectos de sua obra.

 

A formação artística de Miriam Inez foi realizada em duas cidades: Goiânia na juventude e no Rio de Janeiro, cidade em construiu sua carreira, e onde viveu até sua morte em 1996. A artista começa seus estudos formais na Escola Goiana de Belas Artes (EGBA). No início da década de 1960, foi aluna de cursos livres ministrados no MAM Rio por Ivan Serpa. Entre as exposições mais relevantes de sua trajetória, contam-se a participação em duas edições da Bienal de Arte de São Paulo (7°, em 1963 e 9°, em 1967), exposições em que apresentou suas xilogravuras. Jovem Gravura Nacional, organizada por Walter Zanini no MAC USP. Bienal da Bahia (1966 e 1968), Bienal de Gravura de Santiago do Chile (1969). Ao longo dos anos 1970, Miriam expôs continuamente dentro e fora do país, participando de mostras na Inglaterra, França, Itália, Iugoslávia, Marrocos e Canadá.

OBRAS DO ARTISTA

sem título, 1974

Óleo sobre madeira

14,9 x 20,2 cm

João e Francisca, 1982

óleo sobre madeira

24,6 x 35,5 cm

São Miguel Arcanjo expulsando Lúcifer, 1972

óleo sobre madeira

16,4 x 18,4 cm

sem título, 1983

óleo sobre madeira

19 x 14,2 x 1,4 cm

sem título, 1983

 óleo sobre madeira

19,1 x 14,3 x 1,4 cm

Exposição MIRIAM INEZ DA SILVA

Museu Nacional da República, 2021